top of page

III CONGRESSO NACIONAL PESQUISAS, ESTRATÉGIAS E RECURSOS EDUCACIONAIS - CONPERE 2024

Serão disponibilizadas para acesso e diálogo os vídeos de apresentação de trabalhos completos e resumos aceitos para a publicação nos anais do CONPERE 2024.

 

Interaja com os colegas deixando recados para eles nos vídeos ou na área de transmissão da Even3.

CONPERE - SESSÃO DE TRABALHOS
DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A EFETIVIDADE DA LEI 10.639/2003 EM ESCOLAS DE TEMPO INTEGRALS...

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A EFETIVIDADE DA LEI 10.639/2003 EM ESCOLAS DE TEMPO INTEGRALS...

Resumo simples O projeto de pesquisa tem por objetivo identificar as implicações para a efetividade da lei 10.639/2003, que dispõe sobre a obrigatoriedade do estudo da história e cultura afro-brasileira, no ensino de história em três escolas de tempo integral do município de Palmas-TO, entre 2003 e 2024, através da análise das práticas docente dos professores de História, enquanto mecanismo de combate ao racismo. Para tanto, far-se-á um levantamento bibliográfico e revisão de literatura referente à temática da lei 10.639/2003 e das relações étnico-raciais, consistindo na metodologia de pesquisa participante, no qual parte de uma perspectiva da realidade social do espaço escolar permitindo a inquirição pesquisadora face aos professores de História. Ato contínuo, a análise dos dados coletados, contextualizados com as bibliografias revisadas, se necessário, orientarão para a produção do material de apoio didático de implantação da referida lei – o produto. No Alicerce teórico destaca autores que estudam Ensino de História, Currículo, Prática Docente, Identidade, Decolonização, Racismo e a Temática Ensino da História e Cultura afro-brasileira. Um currículo de História é sempre processo e produto de concepções, visões, interpretações, escolhas, de alguém ou de algum grupo em determinados lugares, tempos, circunstâncias. Assim, os conteúdos e os temas e os problemas de ensino de História (...) expressam opções, revelam tensões, conflitos, acordos, consensos, aproximações ou distanciamentos, enfim relações de poder” (GUIMARÃES, 2012. p. 61). Desta forma, as reformas curriculares expressam concretamente as intencionalidades. Intencionalidades aqui entendidas como os modos de pensar, construir e manipular o conhecimento histórico. Infere-se que, dentro desta relação de poder na qual se produz o currículo, nos anos de 2000, no contexto do governo Lula, os movimentos sociais e étnicos produziram mudança curricular denunciando o Racismo, preconceito, marginalização e as diversas formas de dominação de exclusão de negros, com a promulgação da Lei 10.639/2003, que torna obrigatório nas diretrizes curriculares educacionais do país o ensino da história e cultura afro-brasileira como política governamental educacional. Desta forma, percebe-se que a implementação desta lei trouxe alteração nos currículos produzidos pelo grupo político dominante do período e consequentemente direcionando o conteúdo e as práticas pedagógicas do ensino de história. Numa perspectiva decolonial, há necessidade de um currículo crítico que se preocupe com a questão do racismo, que coloque no centro de suas estratégias pedagógicas a multiculturalidade e a interculturalidade. E é esta a proposta da Lei 10.639/2003, através da mudança de currículo, transmitir saberes e apresentar sujeitos até então invisibilizados, com o intuito de mudar a estrutura das relações étnico-raciais através da afirmação de identidade do provo negro. A Autoaceitação redireciona variados aspectos da vida do sujeito: econômico, político, social e principalmente ideológico. Palavras chaves: Ensino de História, Lei 10639/2003, Racismo, Prática Pedagógica. Ione Figueredo Lira da Silva
AS TIC COMO FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA

AS TIC COMO FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA

Resumo simples Este artigo visou refletir sobre as novas tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramentas pedagógicas complementares no ensino de língua espanhola. Trata-se de um relato de experiência, realizado durante um bimestre letivo, junto a uma classe de nível avançado, composta de jovens e adultos, num Centro Interescolar de Línguas do Distrito Federal - DF. Camargos Junior (2020) reflete que as TICs envolvem recursos analógicos e digitais, ou seja, incluem as TDICs como uma categoria. Outros exemplos de TICs seriam o rádio, a televisão, o jornal impresso, o livro impresso e outros. Assim, o autor observa que os termos tecnologias digitais - TDICs e tecnologias de informação e comunicação - TIC (ou TICs) são considerados sinônimos nas matrizes de competências digitais para professores do Centro de Inovação para Educação Brasileira - CIEB e da Comissão Europeia. Na primeira parte do relato, destaco o planejamento das aulas envolvendo o uso das TICs como ferramentas pedagógicas complementares, visando dinamizar a abordagem do conteúdo apresentado pelo livro didático, o que permitiu a adaptação de boas práticas pedagógicas (propostas em sites especializados), projeção de vídeos, como pretexto sobre os temas abordados no livro, e a aplicação de exercícios extras, de forma interativa. A seguir, descrevo a experiência com o aplicativo WhatsApp, para o desenvolvimento das habilidades linguísticas, como a compreensão leitora, auditiva e comunicativa. Por meio do celular, também foi desenvolvido um projeto oral, que envolveu a temática sobre el periodismo ciudadano, o qual consistia na produção de vídeos com temáticas gerais (meio ambiente, problemas em seu bairro, etc.), escolhidos pelos estudantes, contemplando a sua experiência de mundo e a sua visão crítica sobre ele. Na segunda parte do relato, apresento as impressões do trabalho desenvolvido junto aos estudantes, a partir do diálogo com pesquisas acadêmicas, contemplando autores como Rodrigues (2023), que alerta sobre a importância de que as políticas públicas de educação invistam na formação docente, para o manejo das TICs, e no seu oferecimento no contexto escolar. Abordo também o pensamento de Feliciano (2016), o qual considera que a aproximação entre o professor e o aluno, mediada pela tecnologia, é interessante, ao permitir que o professor deixe de lado um pouco a rigidez imposta pela sala de aula e atue em seu papel de mediador intelectual ético e emocional dos alunos. A mediação do professor é o fator principal para que o uso de qualquer tecnologia contemple o fim pedagógico esperado. A terceira parte desse relato contempla as considerações finais, nas quais considero que a aplicação das TICs auxiliou na abordagem do conteúdo e das atividades propostas pelo livro didático, promovendo maior participação e enriquecendo o desenvolvimento das habilidades linguísticas. Observo que a disponibilização das TIC deve ser acompanhada da formação continuada docente e da distribuição dessas ferramentas aos alunos, para a efetivação pedagógica dessas tecnologias no ensino de idiomas. Por fim, este relato considera que novas discussões sobre o uso pedagógico das TICs sejam aprofundadas, a partir de abordagens científicas, como Recursos Digitais Educacionais, entre outros enfoques acadêmicos. Palavras-chave: Ensino de línguas. Língua espanhola. Tecnologias de informação e comunicação. Ricardo Allan de Carvalho Rodrigues
INCLUSÃO E TECNOLOGIA NA SALA DE AULA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES NA EDUCAÇÃO PARA TODOS

INCLUSÃO E TECNOLOGIA NA SALA DE AULA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES NA EDUCAÇÃO PARA TODOS

Resumo simples Na complexa tapeçaria educacional, a escola e a sala de aula se erguem como palcos onde se desenrola o processo de aprendizagem, transcendendo sua dimensão física para moldar destinos intelectuais e emocionais daqueles que os habitam. Dentro de suas fronteiras, uma complexa dança de protagonistas se desenrola, onde professores, alunos, pais, gestores e sociedade interagem, cada qual desempenhando seu papel na busca por uma educação mais abrangente e inclusiva. Nessa jornada, torna-se imprescindível examinar de perto esses atores, compreendendo suas influências, desafios e potencialidades, visando assegurar uma escola verdadeiramente para todos, embora ainda existam nuances a serem consideradas e superadas. A Educação Especial, sob a ótica inclusiva, traz consigo uma trajetória repleta de batalhas, conquistas e, por vezes, retrocessos. Desde a Declaração de Jomtien em 1990, que, apesar de não focada na Educação Especial, instigou a reflexão sobre o papel das escolas enquanto espaços educativos para todos. Diante disso, a promulgação do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/15), possibilitou que diversos marcos pudessem ser alcançados, no entanto, o acesso às escolas regulares não é suficiente, pois é necessário que todos se sintam verdadeiramente pertencentes àquele espaço. Isso requer uma reavaliação da identidade desses protagonistas, de suas ações e práticas pedagógicas dentro da sala de aula, e, acima de tudo, o respeito às suas diferenças. Frente a esses desafios, este estudo visa investigar os impactos da transformação do ensino de matemática por meio de novas práticas pedagógicas mediadas por tecnologias educacionais digitais. Trata-se de uma pesquisa em andamento, inserida em um projeto de mestrado de natureza qualitativa, cujo procedimento será um estudo de caso, envolvendo professores de matemática de seis escolas da rede estadual de Palmas-TO. No contexto em que a pandemia evidenciou a falta de preparo tecnológico para o ensino e aprendizagem mediados pelas tecnologias digitais, e escancarou a desigualdade digital entre os envolvidos no processo educativo, torna-se primordial repensar o papel do professor e suas práticas pedagógicas frente aos avanços tecnológicos e sua possível integração em sala de aula. Ao longo das últimas décadas, as escolas regulares têm recebido um número crescente de alunos com deficiência, desafiando os profissionais a se atualizarem suas práticas, nesse contexto, as tecnologias digitais emergem como ferramentas essenciais para garantir o acesso desses alunos às salas de aula regulares, reduzindo a exclusão. Os resultados preliminares de estudos acadêmicos destacam a importância da formação continuada de professores para atender às demandas inclusivas como também, as que possibilitam ao professor a integração da tecnologia na prática pedagógica, um meio de estimular a colaboração entre os professores e promover a interação entre os estudantes, fazendo com que eles se sintam ativos. No entanto, faz-se necessário compreender as barreiras que limitam o uso efetivo dessas tecnologias, especialmente no contexto da Educação Especial. Por outro lado, a pesquisa contribuirá para o avanço do conhecimento sobre o uso das tecnologias na educação inclusiva e fornecerá subsídios para o desenvolvimento de políticas e práticas educacionais mais eficazes e acessíveis a todos os estudantes. Diego Monteiro de Queiroz, Luciene Ferreira da Cunha e Janeisi de Lima Meira
UNA PROPUESTA INNOVADORA EN CIENCIAS DE LA TIERRA:  LAS ROCAS EN EL PATIO DE LA ESCUELA

UNA PROPUESTA INNOVADORA EN CIENCIAS DE LA TIERRA: LAS ROCAS EN EL PATIO DE LA ESCUELA

Resumen Se presenta una propuesta pedagógica relacionada con las ciencias de La Tierra, específicamente con el conocimiento de las distintas rocas que existen en el patio de la escuela El Tayán, de la comuna de Monte Patria, provincia del Limari, región de Coquimbo, Chile. El objetivo del trabajo es poner en valor una estrategia didáctica relacionada con una investigación científica escolar enfocada los distintos tipos de rocas que existen en el área de estudio. Los objetivos específicos están relacionados con identificar la presencia de distintos tipos de rocas, diferenciar rocas ígneas, metamórficas y sedimentarias y finalmente difundir los resultados en la comunidad educativa. La metodología de trabajo empleada en el estudio, es el uso del programa computacional (Google Earth, 2024), para localizar el punto geográfico donde se ubica la escuela, dos salidas de campo con el fin de recorrer los senderos que existen en los alrededores de la escuela, uso de guía didáctica para el trabajo con estudiantes con actividades prácticas, uso de cámara fotográficas para la toma de fotografías de las piedras encontradas por los estudiantes, uso de bibliografía relacionada con las ciencias Tierras, específicamente a la temáticas de las rocas. También los niños ocuparon materiales como gorros, botellas de agua, bloqueador, zapatos seguros, palos de trekking y depósitos para colectar algunas rocas que los estudiantes van encontrando al caminar por los senderos. Los resultados de esta investigación científica escolar permiten dar a conocer a la presencia de tres rocas ígneas, dos rocas sedimentarias y dos rocas metaformas. Estas piedras fueron encontradas en la superficie de los senderos. Los niños y niñas colectaron algunas piedras de tamaño pequeño y de diversos colares las llevaron al aula escolar y las identificaron con la ayuda de una guía de campo, con la participación de sus docentes. Las conclusiones de esta investigación científica escolar permiten fortalecer y promover practicas pedagógicas vinculadas al trabajo de campo en las escuelas rurales. Palabras claves: Practicas pedagógicas, rocas y escuela Eduardo Jaime Muñoz
CARACTERÍSTICAS DO MÉTODO DE ENSINO ADAPTATIVO E DAS PLATAFORMAS

CARACTERÍSTICAS DO MÉTODO DE ENSINO ADAPTATIVO E DAS PLATAFORMAS

Resumo simples Resumo O ensino adaptativo teve suas raízes na década de 1950, com os trabalhos de Skinner, e desde então vem sofrendo várias melhorias. Porém, foi na década de 1990, com o advento da web, que ganhou mais força. Hoje através das Tecnologias Digitais da Interação e Comunicação (TDIC), os algoritmos de ensino adaptativo associado à web, hipermídia adaptativa e Inteligência Artificial, dão origem às plataformas de ensino adaptativo, que vêm avançando significativamente na área da Educação, colaborando de forma muito positiva para o processo de ensino e aprendizagem do estudante. Como objetivos, temos: realizar o levantamento bibliográfico sobre características do ensino adaptativo e de plataformas; analisar as características pedagógicas do método de ensino adaptativo e comparar três plataformas de ensino adaptativo, Khan Academy, GeeKie e a Duolingo de acordo com as suas características. Para tanto, este trabalho foi desenvolvido através de revisão bibliográfica documental de literatura, de caráter exploratório qualitativo. Como resultados esperado, temos que o ensino adaptativo é um modelo de ensino que atua com recomendações de atividades de ensino compatível com o perfil do estudante, realizando deste modo, uma personalização, já as plataformas de ensino adaptativo guardam o perfil de conhecimento de cada aluno, que detém elementos de como individualizar cada parte da experiência deste e também responde em tempo real, às necessidades e o ritmo de aprendizado de cada estudante. As plataformas analisadas mostraram como a tecnologia digital potencializou o ensino adaptativo, tornando-o possivelmente mais eficiente. Observou-se que em nenhum trabalho pesquisado foi sugerido a substituição do professor, ou a mudança abrupta de sua metodologia, o que vem sendo proposto através da utilização das plataformas de ensino adaptativo, é a integração de um novo método de ensino, e que essa integração tenha como foco a redução das deficiências de aprendizado, de modo a tentar potencializar a relação do ensino com o aprendizado, atendendo assim às necessidades educacionais atuais. Assim, as plataformas de ensino adaptativo se apresentam como uma ferramenta digital de ensino que irá auxiliar o professor em suas aulas. Neste contexto, percebemos que o ensino adaptativo é um método de ensino que tem como principal característica, a personalização do aprendizado de acordo com as necessidades individuais de aprendizado do estudante, Já as plataformas de ensino adaptativo fazem uso de tecnologias de algoritmos digitais para coletar e analisar dados sobre o desempenho do estudante e adapta os conteúdos do curso ao ritmo e ao perfil de aprendizado de cada estudante, o que favorece a motivação e atenção destes. A comparação entre as três plataformas, mostrou que a inteligência artificial e o aprendizado de máquina já estão sendo utilizadas nas plataformas e que hoje estas não se limitam só a uma única disciplina, mas sim a várias, incluindo do ensino fundamental, médio e superior, além de cursos e treinamentos. Palavras-chave: Ensino adaptativo. Plataformas de ensino adaptativo. Personalização do ensino. Tecnologias digitais da interação e comunicação" LELINO RAMOS PONTES
PROCURANDO AS FORMIGAS: UM OLHAR CUIDADOSO SOBRE OS INTERESSES DAS CRIANÇAS, EM TURMA...

PROCURANDO AS FORMIGAS: UM OLHAR CUIDADOSO SOBRE OS INTERESSES DAS CRIANÇAS, EM TURMA...

Resumo simples "O presente trabalho retrata as descobertas pedagógicas de uma turma de Pré-fase l (4 anos) de uma escola de Educação Infantil do Município de Sinop-MT no ano de 2022, trabalhando com o projeto: Procurando as Formigas. O que as crianças querem aprender? O que os seus diálogos revelam sobre os seus interesses? Partindo desse princípio, foram criados espaços educadores, para melhor observar as crianças e fazer uma escuta ativa, sobre suas curiosidades e interesses. Segundo Maria Carmem Silvera Barbosa e Maria da Graça Souza Horn (2008), trabalhar com projetos, criam estratégias e práticas significativas, que envolvem todo o grupo e que podem ser continuamente planejados e reorganizados, para o conhecimento das crianças. A princípio, foram criados, alguns espaços educadores, para que pudesse ser observado, como as crianças se comportavam naquele ambiente, se sentiam interesse e como eram construídos seus diálogos a partir desses espaços. Partindo disso, um possível projeto, poderia nascer. Dentre os espaços criados, o “Clube dos cientistas” conseguiu envolver a turma e render muitos diálogos. Enquanto a turma brincava, um grupo de crianças se afastaram com lupas nas mãos e começaram a perseguir algumas formigas que estavam ali por perto. Enquanto faziam a perseguição as formigas, as dúvidas foram surgindo e sendo verbalizadas. Abordei as crianças e quis entender melhor, sobre aquela descoberta e sobre o que estavam falando. As crianças relataram que estavam investigando sobre as formigas e queriam descobrir onde elas estavam indo, usei aquele momento para indagar as crianças e deixá-las com mais curiosidades sobre as formigas. As descobertas das crianças foram levadas para a roda de conversa, e muitos questionamentos e possibilidades, nasceram naquele momento. Traçamos o nosso plano de ação, construímos gráficos com a quantidade de formigueiros, construímos placas com a escrita e desenho de observação das crianças, para mapear os espaços onde tinham formigueiros, colocamos armadilhas na escola para capturar as formigas, e descobrir qual a espécie, tinha naquele espaço. Depois de descobrir a espécie de formiga, fizemos as pesquisas direcionadas para descobrir as características e modo de vida da formiga Saúva. Após a finalização do projeto, montamos um espaço de exposição na sala, e convidamos outras turmas para visitar nosso espaço e conhecer um pouco sobre as formigas Saúvas. As crianças ficaram super orgulhosa de suas produções, e juntamente com a professora, tiveram a oportunidade de contar para os colegas, um pouco do que descobrimos sobre as formigas Saúva. Como resultado, conseguimos construir um ambiente, de crianças investigadoras e curiosas, que compreenderam que a pesquisa e a ciência é o caminho de grandes descobertas. Palavras-chave: Projeto. Educação Infantil. Formigas. Descobertas. ANA PAULA ARAÚJO DOS SANTOS E ADRIANA KELLY BANDEIRA DE ARAÚJO
O USO DE SIMULADOR VIRTUAL COMO TECNOLOGIA ASSISTIVA NAS AULAS DE CIÊNCIAS PARA ALUNOS COM TEA...

O USO DE SIMULADOR VIRTUAL COMO TECNOLOGIA ASSISTIVA NAS AULAS DE CIÊNCIAS PARA ALUNOS COM TEA...

Resumo simples O uso de simulador virtual como tecnologia assistiva em aulas de ciências para alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) surge como uma estratégia promissora na promoção da inclusão e no suporte ao aprendizado desses estudantes. Este estudo teve como objetivo principal investigar o impacto desse recurso nas aulas de ciências direcionadas a alunos com TEA, visando entender como essa ferramenta pode contribuir para o desenvolvimento acadêmico e social desses alunos. A metodologia adotada envolveu a implementação de um simulador virtual em um ambiente educacional inclusivo, proporcionando aos alunos com TEA a oportunidade de interagir com experimentos científicos de forma virtual. Os resultados obtidos indicam que o uso do simulador virtual proporcionou uma experiência de aprendizado mais acessível e significativa para os alunos com TEA. Através da simulação, esses alunos puderam explorar conceitos científicos de maneira visual e interativa, o que não apenas facilitou a compreensão, mas também promoveu uma maior retenção do conteúdo estudado. Além disso, o ambiente virtual controlado proporcionou uma experiência menos intimidante para esses alunos, que frequentemente enfrentam dificuldades com estímulos sensoriais e sociais em ambientes de sala de aula tradicionais. A discussão dos resultados ressalta a importância de adaptar as práticas de ensino para atender às necessidades específicas dos alunos com TEA. Reconhece-se o potencial das tecnologias assistivas, como os simuladores virtuais, para promover a inclusão e a participação ativa desses estudantes no processo educacional. No entanto, é necessário um investimento contínuo em recursos e capacitação de professores para a implementação eficaz dessas tecnologias nas salas de aula, garantindo que todos os alunos tenham acesso a uma educação de qualidade e inclusiva. Em suma, o uso de simulador virtual como tecnologia assistiva nas aulas de ciências para alunos com TEA mostra-se como uma abordagem promissora para promover a inclusão e facilitar o aprendizado desses estudantes. Isso enfatiza a importância de adaptar as práticas educacionais para atender às necessidades individuais de cada aluno, promovendo assim um ambiente de aprendizado mais acessível, inclusivo e eficaz para todos os estudantes, independentemente de suas habilidades e desafios específicos. CLÁUDIA ROSANE MOREIRA DA SILVA/WALLYSABEL ARAUJO VERAS
REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO ATRAVÉS DA PRODUÇÃO TEATRAL PRUDENTINA.

REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO ATRAVÉS DA PRODUÇÃO TEATRAL PRUDENTINA.

Trabalho Completo A Geografia Cultural tem estudado as representatividades dos grupos sociais por meio da cultura. Deste modo, a produção teatral é uma maneira de representar os fenômenos que acontecem no espaço geográfico. Este trabalho tem como objetivo mostrar a representação social por via do teatro e descrever o alcance do teatro em Presidente Prudente aos bairros periféricos. Assim, no referencial teórico descreveu os conceitos de representatividade social, cultural periférica e o teatro de rua para embasar a realidade apresentada no atual contexto. Dentro do ponto de vista geográfico, apresentou-se uma metodologia fenomenológica. Um estudo de caso foi feito com o Coletivo Galpão da Lua, que é um grupo composto de diversas formas de expressão cultural e com amplo alcance aos bairros periféricos da cidade. A entrevista foi a técnica utilizada para abordagem do Grupo de teatro Garimparisos com seu representante Hannaell Mendes, que contou sobre a sua história com o teatro. Hannaell também falou que a criação dos roteiros pelos próprios participantes do grupo e a dificuldade de manter a produção teatral com investimentos públicos. Por fim, consideramos que é importante a presença do teatro desde a infância em atividades escolares. Assim poderemos aumentar a representação social com o uso do teatro visto que não foram encontradas referências de peças teatrais que falem da cidade de Presidente Prudente. Alex Gonçalves Carvalho , Saulo Henrique Justiniano Silva
TEACHING GAMES FOR UNDERSTANDING (TGFU): UMA ESTRATÉGIA DE ENSINO APRENDIZAGEM NO ESPORTE COLETIV...

TEACHING GAMES FOR UNDERSTANDING (TGFU): UMA ESTRATÉGIA DE ENSINO APRENDIZAGEM NO ESPORTE COLETIV...

Resumo simples O modelo de Teaching Games for Understanding (TGFU) tem se consolidado como um método abrangente para o processo de ensino-aprendizagem no contexto do esporte coletivo. Esse modelo é eficaz na promoção do desenvolvimento integral dos alunos por meio de jogos, facilitando descobertas ao longo do processo de forma ampla e contínua, tornando o método inovador e motivador para os alunos. Dessa forma, o objetivo do trabalho é apresentar o TGFU como modelo pedagógico no processo de ensino aprendizagem no esporte coletivo. Método: Trata-se de um estudo de revisão da literatura estruturada a partir das recomendações do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). As buscas foram realizadas nas bases de dados Lilacs, Medline por meio do PubMede e SciELO, utilizando-se os descritores “Desenvolvimento Infantil”, “Esportes de Equipe” e “Ensino” (e seus correlatos em inglês), definidos através do Medical Subject Heading (MESH) e Descritores de Ciências em Saúde (DeCs). Foram incluídos estudos de 2014 a 2023 que representam o TGfU como processo pedagógico no desenvolvimento de ensino aprendizagem em esportes coletivos. Resultados: Diante de uma busca inicial de 9069 estudos, a aplicação de filtros resultou em 631 pesquisas. Após análise de títulos e resumos, 14 artigos foram escolhidos para leitura completa. No entanto, 10 foram excluídos por não atenderem aos critérios, incluindo um artigo de opinião, dois trabalhos de conclusão de curso, dois que apenas abordavam a teoria do TGfU sem intervenção prática em esportes coletivos, um que utilizava praxiologia motriz, um duplicado e três com métodos diferentes. Assim, ao final, quatro artigos foram selecionados para análise mais aprofundada. Discussão: Mediante aos resultados, destaca-se a eficácia do modelo pedagógico TGfU no ensino de esportes coletivos, proporcionando uma abordagem inovadora focada na aprendizagem através de jogos. O TGfU promove a participação ativa dos alunos, tornando-os protagonistas do processo de ensino. Estudos evidenciam que o modelo contribui para o desenvolvimento técnico-tático, estimula a motivação dos alunos e melhora o desempenho tático global. Além disso, há a necessidade de integrar estratégias que considerem não apenas aspectos técnicos, mas também a coordenação motora. A abordagem centrada no aluno destaca a importância de modelos pedagógicos inovadores no treinamento esportivo de crianças. Considerações Finais: O TGfU representa uma abordagem eficaz no ensino de esportes coletivos, uma vez que prioriza a participação ativa dos alunos e enfoca a aprendizagem por meio de jogos, o que permite o desenvolvimento não apenas de habilidades técnicas e táticas, mas também promove o engajamento do aluno com sua aprendizagem. Paulo Eduardo Cavalcante de Andrade; Luênia Maria Vasconcelos de Azevedo; Rubenyta Martins Podmelle
O USO DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: ANÁLISE SOBRE A PRÁTICA DOCENTE.

O USO DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: ANÁLISE SOBRE A PRÁTICA DOCENTE.

Resumo Os jogos no ensino da matemática proporcionam ao educando um novo olhar sobre essa metodologia, pois ao longo da história a matemática tem sido vista como algo complexo e de difícil acesso. A inserção do jogo no processo de ensino e aprendizagem da matemática possibilita o desenvolvimento de várias habilidades que antes eram retraídas pela visão tradicionalista da matemática. O presente artigo destaca a importância da utilização e inserção dos jogos na educação matemática numa escola da rede municipal em Teresina-PI, traz conceitos de jogo e uma reflexão acerca da utilização dos jogos na educação matemática. Este trabalho partiu do seguinte questionamento: como os professores introduzem os jogos no ensino fundamental numa escola pública da rede municipal de Teresina-PI? A fim de solucionar a problemática teve como objetivos: analisar a prática pedagógica do professor na inserção de jogos no ensino de matemática; verificar o conhecimento do professor acerca dos jogos no ensino de matemática e conhecer qual a finalidade do mesmo ao inserir os jogos em sala de aula. A investigação se deu a partir de um estudo de caso com pesquisa de campo qualitativa. Realizou-se entrevistas a partir de cinco perguntas acerca do uso de jogos no ensino de matemática com três professoras e observações das aulas de matemática no primeiro, terceiro e quarto ano do Ensino Fundamental. Para embasar a coleta de dados utilizou-se referenciais teóricos como Huizinga (1999), Larousse (1982), Moura (2010), Pastells (2009), Ribeiro (2009) e Starapravo (2009). Com as observações durante as aulas e entrevistas realizadas, em relação à utilização dos jogos no ensino da matemática, pode-se afirmar que apesar das professoras terem conhecimento sobre a importância, a finalidade e as contribuições que os jogos proporcionam na aprendizagem dos conteúdos de matemática, ainda utilizam pouco desse recurso para um ensino mais eficaz e significativo. Verificou-se que a escola possui uma grande variedade e quantidade de jogos, e que se fossem utilizados poderiam proporcionar o desenvolvimento de inúmeras habilidades para as crianças. Para tanto cabe às professoras procurar se aprimorarem para desenvolver atividades prazerosas e motivadoras com jogos durante as suas aulas. Nesta pesquisa não foi possível de forma eficaz analisar a prática pedagógica das professoras na inserção dos jogos no ensino da matemática, pois as mesmas não utilizaram os jogos nas aulas observadas. O resultado dessa experiência possibilitou uma reflexão acerca da utilização dos jogos na educação matemática, mostrando que a inserção dos jogos no ensino da matemática é de extrema importância para as crianças, pois à medida que o professor utiliza esse recurso metodológico favorece e estimula o desenvolvimento cognitivo da criança. Portanto, é preciso que o professor compreenda que utilizando os jogos as aulas de matemática podem ser mais atrativas e proveitosas para seus alunos. Palavras-Chave: Jogo. Aprendizagem. Matemática. Pedagoga, Especialista em Gestão Educacional e Empresarial, docente da educação básica no município de Timon -MA, E-mail: ljde.silva@outlook.com. Laize de Jesus Silva
GAMIFICAÇÃO: INSIGHTS PARA O ENGAJAMENTO DO ALUNO EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

GAMIFICAÇÃO: INSIGHTS PARA O ENGAJAMENTO DO ALUNO EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

Trabalho Completo "As tecnologias digitais são recursos que podem potencializar o ensino e a aprendizagem, desde que sejam usadas de forma adequada e inovadora. Nesse sentido, a gamificação, que consiste na aplicação de elementos e mecânicas dos jogos em contextos não lúdicos, como a educação, é uma técnica que pode favorecer a motivação, a participação, a colaboração e a diversão dos alunos. O objetivo deste trabalho foi analisar e organizar técnicas de gamificação em plataformas digitais educacionais, bem como discutir as suas potencialidades e limitações para o processo ensino-aprendizagem. Para isso, foram selecionadas três plataformas que utilizam técnicas de gamificação: o Kahoot, o Duolingo e o GoConqr. Essas plataformas foram analisadas quanto às suas características, funcionalidades, benefícios e desafios, e foram sugeridos insights gerais que podem ser aplicados na sala de aula e nessas plataformas, visando auxiliar os educadores a criarem um ambiente de ensino que estimule a motivação e o interesse dos alunos. A metodologia adotada foi a revisão bibliográfica, baseada em fontes secundárias, como livros, artigos, relatórios, entre outros. Os resultados indicaram que a gamificação em plataformas digitais educacionais pode trazer benefícios para o ensino e a aprendizagem, mas também requer cuidados e critérios para o seu uso efetivo. Por fim, sugere-se que sejam realizadas mais pesquisas sobre a gamificação em plataformas digitais educacionais, que possam contribuir para o aprofundamento teórico e prático do tema, bem como para a avaliação dos seus impactos e resultados na educação. Palavras-chave: Plataformas Educacionais; Técnicas; Gamificação; Motivação" Antônio Almeida Montalvão Júnior e Dostoiewski Mariatt de Oliveira Champangnatte
A RECICLAGEM NA ESCOLA

A RECICLAGEM NA ESCOLA

Resumo simples " A educação é concebida como a base formativa social de qualquer sociedade. Não diferente, a Educação Ambiental faz parte dessa formação como parte essencial na construção de cidadãos mais conscientes de seus direitos e deveres e diante das crises ambientais, há a necessidade da busca de práticas sustentáveis, como a coleta seletiva e reciclagem, tendo em vista, a conscientização quanto à problemática ambiental em torno da destinação dos resíduos sólidos. A reciclagem, ao ser inserida no ambiente escolar, ajuda no desenvolvimento do senso crítico dos alunos e partindo desse pressuposto, este estudo tem o intuito de levantar dados acerca da percepção dos alunos sob a importância da preservação ambiental e reciclagem em uma escola do Ensino Fundamental II no município de Fronteiras-PI. Para isso foi realizada uma pesquisa de campo, com aplicação de questionários, com estudantes do 6° ano do ensino fundamental, matriculados na disciplina de Ciências, estendendo-se também ao professor que atua na disciplina. Os resultados demonstraram que a escola trabalha a Educação Ambiental através da conscientização dos alunos quanto ao meio ambiente, campanhas de conscientização ambiental e desenvolvimento de projetos que envolvam a reciclagem, mas não pratica a coleta seletiva, e em relação a participação dos alunos em atividades escolares envolvendo a educação ambiental, foi possível observar que esta é mais concentrada em seminários, palestras e plantio de mudas, que são realizadas em datas específicas ao longo do ano escolar. A partir dos resultados obtidos, foi possível observar que há a necessidade da implementação de uma Educação Ambiental mais efetiva, com ações interdisciplinares quanto a importância da reciclagem e a produção e destinação do lixo escolar, sendo importante ressaltar que, através de atividades simples e diárias, como a separação do lixo, os alunos podem torna-se mais conscientes quanto à problemática ambiental. Antonia Railda de Jesus
O ENSINO DE HISTÓRIA  E O “BALÃO DO CONHECIMENTO”: APRENDIZAGEM HISTÓRICA A PARTIR DO USO DE JOGO...

O ENSINO DE HISTÓRIA E O “BALÃO DO CONHECIMENTO”: APRENDIZAGEM HISTÓRICA A PARTIR DO USO DE JOGO...

Resumo simples O presente trabalho é resultado da experiência desenvolvida a partir do Subprojeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência- PIBID, cuja finalidade é desenvolver recursos didáticos para o ensino de História na Educação Básica. Nesse caso, os materiais produzidos têm como objetivo se tornarem ferramentas de apoio para os professores durante a aprendizagem dos estudantes dentro das aulas de História na Educação Básica. Desse modo, essa pesquisa busca mostrar os resultados que os estudantes do Ensino Médio adquiriram durante sua experiência com o jogo “Balão do Conhecimento”. Tendo como embasamento teórico utilizamos Boris Fausto(1930), Emma Marriott(2015), Marzano(2013). A estrutura utilizada para o amadurecimento do recurso foi um método simplificado que não demanda muito do tempo do professor para desenvolvê-lo, assim a utilização de balões com perguntas foi utilizada para o desenvolvimento dessa ação pedagógica. A aplicação do jogo contou com a participação dos estudantes convidados das escolas Conego Aderson Guimaraes e Centro de Ensino Inácio Passarinho. O jogo iniciou-se com sua primeira etapa de apresentação dos recursos aos estudantes e professores e seguiram em sua segunda etapa com a implementação dos mesmos dentro das salas de aulas das unidades de educação vinculadas ao programa PIBID. A finalidade principal era estimular a reflexão sobre a importância do uso de recursos didáticos no ensino de História, enquanto proporciona aos participantes a oportunidade de participar de atividades participativas, como jogos práticos ou de raciocínio. Luiz Felipe Nascimento Lima. Francisca Alessandra Santana Silva. Letícia Silva do Nascimento
PIZZA NA SALA DE AULA - ESTRATÉGIAS CRIATIVAS PARA O ENSINO DE FRAÇÕES

PIZZA NA SALA DE AULA - ESTRATÉGIAS CRIATIVAS PARA O ENSINO DE FRAÇÕES

Resumo simples Este resumo, aborda um relato de experiência em que foi explorado a eficácia do uso de pizzas como recurso didático no ensino de frações, visando aprimorar a compreensão e o interesse dos alunos acerca desse conceito matemático. Vale ressaltar a importância da aprendizagem de frações e a necessidade de estratégias sob aspecto inovador para tornar esse conteúdo mais compreensível. O objetivo principal é analisar o impacto do uso de pizzas como representação visual no processo de aprendizagem de conceitos iniciais sobre frações, investigando seu efeito na compreensão conceitual e no engajamento dos alunos. Trata-se de uma pesquisa aplicada, quanto à abordagem do problema, classifica-se sob uma ótica qualitativa, cujos objetivos são definidos numa perspectiva exploratória. A pesquisa foi realizada no Colégio Batista de Palmas, situado na cidade de Palmas – TO, com 30 alunos da turma do 6º ano do Ensino Fundamental. Tendo em vista a dificuldade de aprendizagem da Matemática, historicamente apresentada por alunos, esta pesquisa apresenta uma forma diferente de se trabalhar Matemática. A aplicação da atividade se dividiu em quatro etapas, sendo a primeira o levantamento bibliográfico acerca do tema Matemática e culinária; a segunda etapa tratou do planejamento da aula; na terceira etapa foi realizada a aula prática, na cozinha da escola, vale ressaltar que os alunos se organizaram em grupos com três integrantes e cada grupo trouxe uma pizza para realização da prática; e para finalizar, na quarta etapa, em sala de aula, os alunos e a professora discutiram sobre a prática realizada. Como resultado, percebemos que a prática foi benéfica, pois os alunos interagiram bastante no jogo de basquete e também durante a discussão pós jogo, relataram que ficou mais fácil fazer a ligação da teoria estudada em sala com o seu cotidiano. Como resultado, foi possível perceber que a prática foi benéfica, pois os alunos interagiram bastante durante a aula e também durante a discussão pós prática, relataram que ficou mais fácil fazer a ligação da teoria estudada em sala com o seu cotidiano. Além disso, a interação direta com as pizzas promoveu um ambiente de aprendizagem dinâmico e participativo. Como considerações finais enfatizamos a relevância do uso de pizzas no ensino de frações, sugerindo sua incorporação no currículo escolar como uma estratégia valiosa. Recomenda-se ainda a continuidade de pesquisas para explorar outras aplicações e possíveis aprimoramentos dessa prática, contribuindo para a constante evolução do fazer pedagógico. Em suma, este estudo evidenciou o potencial transformador do uso de recursos materiais práticos no ensino de frações, proporcionando uma abordagem inovadora que não apenas facilita a compreensão conceitual, mas também torna o processo de aprendizagem mais envolvente e acessível aos alunos. Kizzy Freitas Moreira Saraiva; Diego Monteiro de Queiroz; Janeisi Lima de Meira
AVALIAÇÃO DE UM JOGO DIDÁTICO SOBRE CIENTISTAS BRASILEIROS(AS), POR DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

AVALIAÇÃO DE UM JOGO DIDÁTICO SOBRE CIENTISTAS BRASILEIROS(AS), POR DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Resumo simples Por meio da divulgação científica, tem-se a oportunidade de conhecer melhor o mundo à sua volta, compreender o papel da Ciência e sua importância para o desenvolvimento da sociedade, bem como, aproximar os cientistas do cidadão comum. Para que esse processo ocorra de forma satisfatória, é necessário desenvolver estratégias criativas que busquem tornar o conhecimento científico acessível à população. Dentre elas, está o desenvolvimento de jogos didáticos que são ferramentas educacionais diferenciadas, cada vez mais utilizadas nas escolas, por seu caráter lúdico, prático e interativo que, quando bem direcionados, permitem aos participantes o protagonismo no processo ensino e aprendizagem. Diante da necessidade de aproximar e disseminar o conhecimento da população sobre o papel da Ciência e dos(as) cientistas brasileiros(as) foi desenvolvido o jogo didático chamado “Tapa Esperto – Cientistas do Brasil” inspirado no jogo Tapa Certo (Estrela®), tendo por objetivo fomentar o conhecimento acerca da trajetória acadêmica e profissional de homens e mulheres, cientistas brasileiros, e suas principais contribuições para a sociedade. O jogo didático busca, também, ser uma ferramenta de popularização e divulgação da Ciência e desmistificação dos estereótipos relacionados à figura do cientista. O jogo didático “Tapa Esperto – Cientistas do Brasil” foi aplicado e avaliado por 14 professores da Rede Municipal de Educação de São Gonçalo (RJ), durante a realização da Oficina “Ciência em Jogo”, em evento de abertura do ano de letivo de 2024. Para a sua avaliação foi elaborado um questionário composto por oito assertivas em escala Likert (concordo plenamente; concordo; não concordo nem discordo; discordo; discordo totalmente), a saber: (i) A proposta é criativa; (ii) O conteúdo do jogo é relevante; (iii) O layout do jogo é atraente; (iv) As regras do jogo são claras; (v) O jogo é dinâmico; (vi) Jogando, aprendi coisas que não sabia; (vii) O jogo desperta o interesse sobre a temática abordada; (viii) Utilizaria o jogo em minhas aulas. Os dados obtidos indicam que o jogo didático foi bem avaliado pelos professores participantes da atividade: 12 concordaram plenamente e 2 concordaram que a proposta é criativa; 11 concordaram plenamente e 3 concordaram que o conteúdo do jogo é relevante; quanto ao layout ser atraente, 10 concordaram plenamente, 3 concordaram e 1 não concordou nem discordou; 13 concordaram plenamente e 1 concordou que as regras do jogo são claras; 8 concordaram totalmente e 6 concordaram que o jogo é dinâmico; sobre terem aprendido, por meio do jogo, coisas que não sabiam, 12 concordaram plenamente e 2 concordaram; 12 concordam plenamente e 2 concordam que o jogo desperta o interesse sobre a temática abordada; sobre a utilização em suas aulas, 11 concordaram plenamente e 3 concordaram. Esses dados corroboram com dados obtidos em avaliação feita entre estudantes da Educação Básica, sugerindo que o jogo didático “Tapa Esperto – Cientistas do Brasil” é uma ferramenta adequada para utilização em ações com vistas à popularização do conhecimento acerca da Ciência e dos(as) cientistas brasileiros(as). Jean Carlos Miranda; Dominique Guimarães de Souza
CARTOGRAFIA E GEOGRAFIA ESCOLAR: TRANSFORMAÇÃO NO OLHAR SOBRE O MUNDO

CARTOGRAFIA E GEOGRAFIA ESCOLAR: TRANSFORMAÇÃO NO OLHAR SOBRE O MUNDO

Resumo simples A Geografia Escolar requer uma leitura crítica dos mapas, indo além da mera decodificação. Desde a Grécia Clássica, a Cartografia tem uma relação próxima com a Geografia. Ao longo da história, as concepções de mapa e de Geografia evoluíram, influenciando o desenvolvimento da ciência geográfica. Nos últimos 100 anos, o uso das representações cartográficas contribuiu significativamente para o avanço dessa ciência. Com o objetivo de auxiliar o trabalho docente na articulação dos conhecimentos geográficos a partir do uso de diferentes mapas, buscando demonstrar esta potencialidade é que foram selecionados 4 mapas: (1) "Cosmografia" proposta por Ptolomeu; (2) "Entretenimento" elaborado por al-Idrisi; (3) "Universallis Cosmographia" elaborado em 1507; e (4) a “Projeção de Gall-Peters” 1973, na perspectiva de revelar a pertinência do uso de cada representação para a Geografia Escolar, este trabalho buscou demonstrar algumas possibilidades do uso de diferentes mapas para o ensino de Geografia. Além disso, buscamos também aproximar essas propostas dos conteúdos geográficos, os quais dão significado e sentido para o trabalho pedagógico de Geografia na Educação Básica. A "Cosmografia" de Ptolomeu reflete uma visão Eurocêntrica do mundo, com a Europa e o Mediterrâneo centralizados e a orientação para o Norte. Essa característica persiste em mapas atuais, destacando a visão predominante na época grega. Por outro lado, o "Entretenimento" de al-Idrisi, na Idade Média, ilustra a influência cultural na representação da Terra, com os "Mapas Islâmicos" colocando o Sul no topo, destacando uma visão alternativa à convenção cartográfica do Norte. Já o "Universallis Cosmographia" de Martin Waldseemüller, elaborado em 1507, nomeia a América em homenagem a Américo Vespúcio e desempenha um papel importante na divulgação das descobertas da época, utilizando tecnologia de impressão recente na Europa. Por fim, a "Projeção de Peters" de 1973 inicia uma discussão sobre a representação mais igualitária dos continentes e critica o eurocentrismo, reconhecendo, no entanto, que nenhuma projeção cartográfica é perfeita devido à dificuldade de representar a esfericidade da Terra em um plano sem distorções. Com o desenvolvimento do presente estudo foi possível realizar uma análise, mesmo que breve, da história da Cartografia, possibilitando conhecer os contextos das diferentes produções cartográficas ao longo da humanidade e, principalmente, suas características e particularidades. As diferentes formas de espacializar o espaço, as modificações do pensamento humano ao longo dos séculos que influenciaram as representações cartográficas nos permitiram compreender que o mapa é um representante dos contextos históricos e sociais da humanidade. Portanto, temos que ler e compreender cada mapa a partir do período em que foi produzido, procurando reconhecer os saberes que estavam presentes no momento da sua construção. João Victor Cordeiro Gama
PROJETO AFETOS: O PODER DE AFETAR O OUTRO PARA MELHORAR O MUNDO!

PROJETO AFETOS: O PODER DE AFETAR O OUTRO PARA MELHORAR O MUNDO!

Resumo simples O Projeto Afetos, idealizado pela Secretaria de Educação de Horizonte, Ceará, em 2022, surge como uma resposta inovadora às crescentes necessidades socioemocionais da comunidade escolar. Em apenas um ano, seu impacto expressivo e holístico consolidou-se, ultrapassando os limites do ensino tradicional e tocando a vida de 2.880 pessoas distribuídas na rede municipal de ensino de Horizonte. A metodologia do projeto, dividida em três eixos distintos para servidores, alunos e familiares, apresenta uma visão abrangente e inclusiva. Por meio de práticas inovadoras como formação continuada, círculos de construção de paz, palestras educativas, escutas qualificadas e vivências terapêuticas, o Projeto Afetos se destaca por sua amplitude e alcance, integrando teoria e prática, ciência e experiência para ir além da educação convencional. O objetivo central do projeto é cultivar uma comunidade educacional resiliente, conectada e preparada para os desafios da vida, desenvolvendo habilidades socioemocionais como autoconhecimento, autogerenciamento, empatia, comunicação eficaz, resolução de conflitos, colaboração, resiliência e inteligência emocional. O projeto busca fortalecer os laços entre os membros da comunidade escolar, criando um ambiente mais positivo e acolhedor para o aprendizado. A equipe multiprofissional do Projeto Afetos, composta por psicólogos e assistentes sociais, está alinhada com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96) e a Lei nº 13.935/2019, que garantem o atendimento psicológico e socioassistencial aos alunos da rede pública de ensino. Essas leis reconhecem a importância do suporte emocional e social para o desenvolvimento integral dos alunos, assegurando um ambiente educacional que respeite a diversidade, combata a violência e a evasão escolar, proporcione acolhimento e senso de pertencimento, e cuide da saúde mental de todos os envolvidos. O Projeto Afetos é uma resposta inovadora e pragmática às demandas contemporâneas na área educacional. Mais do que uma resposta às necessidades socioemocionais, o projeto é uma celebração do potencial humano, contribuindo significativamente para a construção de uma sociedade mais saudável e conectada. Ele se firma como uma transformação eficaz na educação, promovendo ativamente o bem-estar emocional e o desenvolvimento socioemocional com um toque humano e inclusivo, representando um marco na educação de Horizonte e demonstrando o compromisso do município com o desenvolvimento integral dos alunos, no contexto de uma educação acolhedora, competente e plural. Cássia Enéas, Francisca Cristiane e Valdenia Nunes
PROJETO BORDANDO MEMÓRIAS: INOVAÇÃO DIGITAL PARA PRESERVAÇÃO DA CULTURA QUILOMBOLA

PROJETO BORDANDO MEMÓRIAS: INOVAÇÃO DIGITAL PARA PRESERVAÇÃO DA CULTURA QUILOMBOLA

Resumo simples "A Secretaria de Educação de Horizonte, em parceria com o Coletivo Bordando Resistência, apresenta o projeto ""Bordando Memórias: Inovação Digital para Preservação da Cultura Quilombola"". Este visa integrar a tradição do bordado ancestral com a tecnologia digital para preservar a cultura e memória da Comunidade Quilombola de Alto Alegre. A riqueza cultural dessa comunidade é reconhecida como um patrimônio inestimável que merece ser mantido, buscando meios sustentáveis de transmiti-la às futuras gerações. O projeto propõe a eficácia e acessibilidade na documentação e compartilhamento das histórias e memórias ancestrais por meio da introdução da inovação digital, enriquecendo a experiência cultural e educacional. O objetivo geral é promover o desenvolvimento de atividades culturais na infância, utilizando o bordado criativo para produzir livros que recontem as histórias e memórias ancestrais, integrando inovação digital para promover inclusão, acessibilidade e divulgação. Os objetivos específicos incluem a realização de oficinas de bordado livre com crianças, pesquisa histórica envolvendo idosos, recontagem das memórias ancestrais por meio de gravuras digitais, e a produção de 3 livros interativos. A metodologia prevê a realização semanal do projeto com grupos de crianças, integrando elementos digitais no aprendizado do bordado, formação de grupos multidisciplinares para pesquisa histórica, encontros mensais para documentar o progresso e aplicação da inovação digital através de QR Codes na plataforma CLIC, que é iniciativa que se tornou um catalisador crucial para a inclusão digital no contexto educacional do município de Horizonte, na promoção de uma educação mais inclusiva e alinhada às demandas da sociedade atual. O projeto, conduzido pelo coletivo ""Bordando Resistência"", promove o encontro e diálogo intergeracional, contribuindo para a formação de cidadãos críticos e conscientes da importância da diversidade cultural. A iniciativa é crucial para a preservação da cultura quilombola, fortalecendo a identidade étnica da comunidade e fomentando uma sociedade mais justa e pacífica. A interface com as novas tecnologias de inclusão digital, amplia o acesso da história e memória da comunidade de forma ampliada e globalizada. Rita de Cássia Martins Enéas Moura, Francisca Cristiane Castro de Oliveira
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE) NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE) NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Resumo simples A Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva (BRASIL, 2008), instituiu o atendimento educacional especializado (AEE), objetivando identificar, conceber e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade para fomentar o desenvolvimento da autonomia e independência dos estudantes, bem como a aquisição dos conhecimentos previstos no currículo escolar. No Estado do Espírito Santo, diversas legislações e instrumentos normativos tratam da Educação Especial e, por consequência, do Atendimento Educacional Especializado (AEE), orientando sobre qual é o objetivo deste atendimento e estabelecendo diretrizes para seu funcionamento. Dentre eles, destacamos a Resolução CNE/CEB nº 4/2009 e a Resolução CEE-ES nº 5.077/2028. A Resolução CNE/CEB nº 4/2009, institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica na modalidade da Educação Especial. Através dela elaborou-se a Resolução CEE-ES n° 5.077/2018, que dispõe sobre a organização da oferta da Educação Especial no Sistema de Ensino do Estado do Espírito Santo. A partir desses documentos legais, fundamentado nos princípios do materialismo histórico-dialético e nas pesquisas de Vieira (2018), Carvalho (2022) e Delevatti (2021), por meio de uma revisão bibliográfica de caráter qualitativo, com foco nas Diretrizes Operacionais da Educação Especial do Estado do Espírito Santo, este trabalho, investigou a implementação do AEE nas escolas estaduais do estado do Espírito Santo. Os resultados indicam que as políticas instituídas ainda apresentam falhas. Apesar de existir ações formativas voltadas para os professores do AEE, observamos que os docentes do ensino comum não são envolvidos nessas formações. Além disso, constatamos pouca interação entre professores da sala comum e professor de AEE, destacando a necessidade de formações que articulem os docentes do AEE e os docentes da sala de aula comum e que incentivem um trabalho verdadeiramente colaborativo. Os resultados também indicaram a ausência de profissionais, efetivos, para atuarem no AEE, o que compromete a qualidade do ensino, em razão da descontinuidade. No entanto, apesar de existir, ainda, um descompasso entre o que é estabelecido nas Diretrizes de Educação Especial e o que é praticado nas escolas comuns, reconhecemos que várias conquistas já foram instituídas, dentre elas a implantação dos Núcleos Estaduais de Apoio Pedagógico à Inclusão Escolar (NEAPIEs) e as ações formativas realizadas pela equipe de Educação Especial das Superintendências Regionais. Compreendemos que o desvelamento dessas fragilidades, por meio de estudos e pesquisas contribui com o desenvolvimento/aprimoramento da política em ação, o que tem favorecido o compartilhamento de ideias e a criação de uma escola mais inclusiva e democrática. Palavras-chave: Atendimento Educacional Especializado. Educação Especial. Estado do Espírito Santo. Suélen Rodrigues de Freitas Costa Luana Balma Carastro Taynara Rodrigues de Freitas Simone Aparecida Fernandes Anastácio
bottom of page